A Polícia Civil está investigando um caso de estupro que teria ocorrido dentro da Escola Municipal Professor Mário Matos em Garanhuns, no Agreste de Pernambuco. À TV Asa Branca, a mãe da vítima – uma criança de 10 anos – diz temer pela segurança da filha. “Penso que as pessoas levam os filhos para a escola pensando que tem segurança, mas não tem. Se eu colocar minha filha em outra [instituição de ensino], não vou me sentir em paz”, afirmou a mulher, que não quis se identificar. A Secretaria de Educação de Garanhuns esteve na escola na tarde desta quarta com uma equipe de interventores, que foi chamada para apurar o caso. “A atual gestão da escola será afastada. Penso que o que ocorreu foi uma falta muito grave”, destacou a secretária de Educação, Eliane Vilar. De acordo com informações da criança e da mãe, a estudante brincava com um grupo de colegas quando viu um homem pular o muro da escola. “Ela [a menina] me disse que não teve como escapar, que ele foi logo tapando a boca [da vítima]”, afirmou a mãe. O caso aconteceu no primeiro dia de aula da vítima, em 19 de fevereiro deste ano, mas ela só falou sobre o crime nesta quarta-feira (7). Ela se sentiu mal e achou que estava grávida. O Conselho Tutelar do município foi acionado pela diretoria da escola para acompanhar a garota. “Levamos a menina para o Hospital Regional Dom Moura para saber se ela estava grávida”, informou a conselheira tutelar Genoveva Alves de Brito. A Delegacia da Mulher irá investigar o suposto caso de abuso sexual. “Um inquérito já foi instaurado e solicitamos um laudo do IML [Instituto de Medicina Legal] para ter a certeza do que aconteceu”, ressaltou a delegada Debóra Tenório. Por e-mail, a secretaria de Educação de Garanhuns informou que o caso do suposto estupro está sendo acompanhado de forma ostensiva para que todos os detalhes sejam esclarecidos e correspondam à realidade. Nesta quarta “quatro supervisores escolares deram início a uma intervenção no estabelecimento de ensino para apurar o caso e confirmar que todos os cuidados com a integridade de alunos e professores estavam e estão sendo tomados corretamente”. Ainda na nota, a secretaria informou que “está colaborando com as investigações e acompanha os resultados da perícia que, vale salientar, ainda não confirmou o provável estupro. Apenas a Polícia Civil, através de laudo comprobatório, poderá chegar a uma conclusão sobre o fato”. via: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here